CÉSAR DOMELA

(Amsterdam 1900 - Paris 1992) Do cubismo sintético de sua obra em 1920, ele logo passa para pinturas geométricas, compostas de acordo com as coordenadas horizontais e verticais de linhas e planos. Em 1924 em Paris, ele conheceu Mondrian e Van Doesburg, entrou no grupo De Stijl e adotou os princípios fundamentais do Novo Plasticismo. No ano seguinte, seguindo o exemplo de Van Doesburg, ele adotou a diagonal como o gerador da síntese do plano, volume e movimento. Em 1926 expôs com o grupo Societe Anonyme e passou a viver em Berlim, onde trabalhou como artista gráfico em publicidade e se preocupou com fotomontagens e a tipografia. Em 1929, seu trabalho tornou-se relativamente independente do Grupo: ele criou relevos de vários materiais sobre suportes de madeira. Geralmente o apoio consistia em planos coloridos onde ele aplicava as linhas principais da composição, que consistia em elementos ortogonais variados, em acrílico, bronze, alumínio e outros. Do seu crescente interesse pela cultura do Oriente, seu trabalho mudou - ao invés de modelos formais ou elementos - o tema vagamente espiritual, de uma harmonia absoluta, superior a qualquer emoção ou sensação derivada da realidade. Ele se juntou a Ring Neue Werbegestalter fundada por Kurt Schwitters, como fez, entre outros, EI Lissitskij, MoholyNagy e Hans Richter. Ele também contribuiu para as revistas De Stijl e Cercle et Carré. Em 1930, curvas e espirais tomaram o lugar de linhas retas como geradores do ritmo da composição. Ele também aumentou a quantidade de diferentes materiais, fazendo uso de: madeiras, cobre, chapas de aço, peles, osso de baleia, vidro, plásticos, pergaminho, etc. Cada um destes materiais foi usado por suas cores naturais. De Stijl fundaram suas construções nas cores elementares mas segundo Domela as cores específicas de animais ou vegetais eram também considerados cores elementares. Isto deu a textura do trabalho um valor específico: a superfície deixou de ser apenas um suporte e tornou-se um elemento estrutural do trabalho. Em 1933 ele se mudou com a família para Paris, onde abriu o primeiro ateliê de serigrafia artística. Seu trabalho foi incluído no Cubismo e Arte Abstrata, na exposição do MOMA em Nova York, em 1936. Um livro sobre seu trabalho, com prefácio de Kandinsky, foi publicado depois da guerra, e em 1947, expôs na Galeria Denise René, em Paris. Exposições retrospectivas foram realizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Amsterdã, Düsseldorf, etc. Desde 1955 os relevos coloridos se tornaram às vezes murais, para a decoração de fachadas de prédios inteiros. Na década de 1970 dedicou-se também à análise de cor integrada na superfície, variadas e misturadas através da sobreposição dos papéis coloridos transparentes. Em 1981, seu trabalho foi incluído na exposição de Paris-Paris, no Centro Pompidou em Paris.

VOLTAR



1/3         < anterior     próximo >
1952 - 64x106cm - Refief nº37 - Relevo em metal s/ madeira
Foto: Jaime Acioli